AplicaçõesCidades InteligentesEcossistemasInternet das coisasInternet of ThingsIoTRedes IoTSem categoriaServiçosSmart CitiesStartupsUncategorizedWearables

A Internet das Coisas e a minha vó conectada

Como a Internet das Coisas trará maior qualidade de vida à nova geração de idosos do Brasil?

A população de idosos no Brasil está cada vez mais ativa e conectada. E eu não estou falando das velinhas do Itaú ou do simpático velhinho da OLX. Cada vez mais, essa população está se inserindo no mundo digital e usufruindo dos benefícios de estar online. Hoje queremos apresentar uma nova forma de se conectar que irá proporcionar maior qualidade de vida aos nossos idosos.

Velhinho da OLX e a Internet das Coisas

Há mais de 100 anos, a média de idade do brasileiro era 30 anos. Por isso, o escritor carioca Machado de Assis, descrevia em seus livros um personagem de 50 anos como alguém já no fim da vida. De lá pra cá muita coisa mudou. A expectativa de vida em 2020 será de 76,1 anos, isso graças a melhoria dos sistemas de saúde e iniciativas do governo. Com isso, o número de pessoas idosas tem aumentado gradativamente, não acompanhando a diminuição nos índices da taxa de mortalidade e fecundidade (número de filhos por mulher).

Essa situação tem se tornado um problema socioeconômico para o governo e tem trazido uma série de desafios. Não sabemos se o nosso país está preparado para enfrentá-los. Mas isso já é outra questão, o que queremos tratar nesse post é como a nova geração de idosos se beneficiará com os wearables, as tecnologias vestíveis, que estão surgindo e prometem trazer qualidade de vida e bem estar.

O que são os wearables?  São vestíveis tecnológicos que irão nos conectar a Internet das Coisas. Pulseiras, braceletes, relógios, óculos, anéis, trajes e dispositivos estão entre as novidades “usáveis” e que podem ser facilmente acoplados ao corpo do consumidor. Eles estão vindo com tudo para o mercado e praticamente todas as grandes empresas de tecnologia apostam nessa tendência.

O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial e que no Brasil ocorre de forma acelerada. O Rio de Janeiro se destaca dentre as que possuem maior proporção de idosos, o que representa atualmente, 12,8% da população. Se por um lado as pessoas estão vivendo mais, por outro, elas necessitam de mais cuidados.

Hoje já existem ações e programas, dos governos federal, estaduais e municipais de estímulo à atividade física para a população idosa como os projetos das Academias da Terceira Idade e o Projeto Rio Ar Livre. Estes programas visam integrar diversas formas de atividade física nas praças públicas e em algumas clínicas da família com o objetivo de estimular a participação social e o alcance do envelhecimento bem-sucedido.

Essas ações, se aliadas ao uso de tecnologia de ponta, ajudam a mensurar e acompanhar a evolução das atividades físicas dos idosos e sua melhoria de qualidade de vida.

Mesmo assim, muito ainda pode ser feito pelos nossos idosos, pois muitos deles não são alcançados por esses programas e acabam não obtendo os benefícios de envelhecer de forma saudável e com qualidade, o que acaba impactando no aumento dos custos para o estado e para toda a sociedade.

Internet das Coisas

Internet das Coisas e os wearables – (Foto: Samsung Gear)

 

Como a Internet das coisas irá melhorar a vida dos idosos?

Com o surgimento da Internet das Coisas e a tendência de conectarmos tudo ao nosso redor, em breve teremos soluções para diversas áreas, tais como saúde, segurança, educação e muitas outras. Dentro da área de saúde e bem estar, o cuidado com o idoso é um problema crítico que temos que enfrentar urgentemente.

A Phygitall Soluções em Internet das Coisas em uma iniciativa com diversos parceiros, startups e empresas de tecnologia está implantando no Rio de Janeiro uma rede sem fio de Internet das Coisas. Será a 1ª Smart City do Brasil com uma rede wireless que vai oferecer conectividade total para nossas coisas. E essa infraestrutura viabilizará que novos negócios e soluções surjam na cidade.

Saiba mais sobre a Rede IoT Rio de Janeiro

E uma das soluções mais inovadoras que surgiram em 2016 dentro do Programa Startup Rio do governo do Estado, foi o desenvolvimento de uma aplicação específica para o cuidado dos idosos. A Startup GERO 60 que foi umas das 10 finalistas do DEMODAY Startup Rio 2016, está desenvolvendo um wearable que promete ajudar significativamente na melhoria da qualidade de vida da população idosa do país.

Internet das Coisas

Gero 60 – Parceira da Phygitall no desenvolvimento de soluções para a Internet das Coisas.

Trata-se de uma estilosa pulseira para as mulheres (tal como a imagem em destaque deste post) e discreta para os homens, que trará diversas funcionalidades. Essas pulseiras permitirão monitorar a saúde, a localização e os sinais vitais dos idosos. E essas informações poderão ser acessadas em tempo real através do App Gero 60, garantindo aos familiares que o idoso se encontra saudável e em segurança. Essa informação também ficará disponível para o médico acompanhar as condições de saúde do idoso, melhorar o diagnóstico e agir preventivamente, caso necessário.

Esse dispositivo promete ser revolucionário, causando uma grande mudança no comportamento e na relação com essa faixa etária da população.

Abaixo relacionamos algumas das principais funcionalidades deste wearable e tudo que ele irá oferecer:

  • Sinais vitais; monitoramento dos sinais vitais fornecendo informações importantes sobre funções básicas do corpo: pressão arterial, pulso (freqüência cardíaca), respiração (frequência respiratória) e temperatura corporal.
  • Localização; permite que você monitore e localize seu pai, sua mãe ou seus avós idosos via App. Pode parecer desnecessário, mas é grande a quantidade de idosos desorientados que se perdem nas ruas e não conseguem mais retornar às suas casas.
  • Alerta; caso o idoso se encontre em situação de perigo ou precise da ajuda de alguém, pode acionar um botão de alerta para que filhos e/ou cuidadores possam imediatamente atendê-lo.
  • Sensor de movimento; Essa função permitirá que filhos e cuidadores recebam um alarme de aviso de queda ou movimento brusco que o idoso tenha sofrido e que o possa ter deixado em situação de risco ou fragilidade.

 

Cuidar da saúde e bem estar dos idosos é nosso dever moral

Acreditamos que as novas tecnologias nos permitirão ganhar eficiência em muitos aspectos. E hoje isso já é possível.

A união da tecnologia aos instrumentos de avaliação permitirá aos usuários desses produtos e serviços, profissionais de saúde e gestores, identificar claramente o perfil de saúde funcional destes indivíduos. Caso existam alterações, o uso da tecnologia assistida facilitará e fornecerá subsídios concretos e objetivos para o trabalho da equipe multiprofissional. E juntamente às informações obtidas através dos dispositivos, será possível a criação de campanhas e implementação de políticas públicas com base na análise dos indicadores obtidos nesse processo.

Para as famílias, uma nova forma de cuidar dos seus idosos e assegurar uma significativa qualidade de vida e envelhecimento saudável. Para o estado e sociedade, redução de custos no que se refere ao suporte à saúde com remédios e tratamentos da população idosa nos hospitais e clinicas da família.

Cuidar do idoso, não é só um dever mas acima de tudo é uma obrigação moral. É nosso papel zelar pela melhoria e manutenção da autonomia funcional do idoso e estimular sua capacidade cognitiva, além do incremento das relações sociais. Tudo isso é essencial para o desenvolvimento da saúde integral dos idosos.

Como já foi dito, se aliarmos os programas de cuidado ao idoso com o uso adequado de tecnologias de ponta, certamente teremos uma combinação que se propõe a melhorar significativamente a qualidade de vida, não só do idoso, mas também, irá proporcionar maior tranquilidade aos familiares e cuidadores, além de reduzir todos os custos do estado relativos a saúde e assistência social da população idosa.

Que nossos avós, pais, mães e idosos do nosso Brasil possam manter a saúde, a vontade e o prazer de viver, assim como Fernando Pessoa que disse um dia:

“Não importa se a estação do ano muda…
Se o século vira, se o milênio é outro.
Se a idade aumenta…
Conserva a vontade de viver,
Não se chega a parte alguma sem ela.”

Acompanhe semanalmente e descubra através desses editoriais, tudo que a internet das coisas poderá oferecer para startups, empreendedores, desenvolvedores e pessoas de tecnologia em geral.

Lucio Cesar F. Netto: Empreendedor por paixão e por vocação. Co-founder, Biz Dev e Marketing da Phygitall Soluções em IoT. Formado em Gestão Estratégica de Vendas e Marketing pelo IMEC. Escreve semanalmente os editoriais do blog com o objetivo de traduzir para o mercado as tecnologias que envolvem o mercado da Internet das Coisas aplicadas aos negócios e os impactos dessa revolução no Brasil e no mundo. Turista e baterista nas horas vagas.

Curta nossa página e compartilhe nosso conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *